fbpx

ART BLAKEY – arte ao vivo

ART BLAKEY

ART BLAKEY
arte ao vivo

Pode afirmar-se com toda a propriedade, e sem receio de se errar, que um dos bateristas que mais influência teve no percurso de outros similares instrumentistas quer do jazz, quer de outras áreas onde a bateria é habitual, foi sem dúvida o mágico das baquetas Art Blakey e também que um dos seus primeiros quintetos, aquele que estava já formado por alturas de 1954, foi o grande precursor do projecto que ele mais tarde lançaria e que viria a constituir-se como uma das suas mais deslumbrantes formações no mundo da grande música negra- os Jazz Messengers, de boa memoria. 

Como actualmente é um pouco parca a disponibilidade de trabalhos discográficos da sua lavra no nosso mercado, tão maltratado nos últimos tempos pelas grandes empresas como a FNAC por exemplo onde cada vez é mais difícil o acesso a muitas das publicações ou reposições, que vão surgindo, facto que leva muita gente, como eu próprio e vários dos meus amigos, a socorrermo-nos das estrangeiras Amazon, Disco100 ou Discogs para um melhor e mais efectivo “abastecimento”, são algumas pequenas editoras independentes como a Distrijazz que se encarregam de nos mitigar a fome discográfica editando e repondo obras fundamentais da história da musica em geral como é o caso presente de “A night at Birdland” do mesmo Art Blakey, um álbum raro e histórico onde o insigne baterista surge a actuar ao vivo na celebre sala de concertos nova-iorquina acompanhado por um naipe de extraordinários instrumentistas como Clifford Brown (trompete) musico que haveria de poucos anos depois desta gravação morrer vitimado por um estúpido acidente de automóvel, Lou Donaldson (saxofone alto), Horace Silver (piano) e Curley Russell (baixo), naquele que constitui um dos mais fantásticos e bem sucedidos quintetos de jazz de sempre da história do jazz mundial.

Esta presente gravação/concerto, brilhante e de coleccionismo, que  teve lugar a 21 de Fevereiro de 1954,  inclui, para alem de outras nove magnificas interpretações, uma excepcional versão do celebre “Night in Tunísia” e para além disso beneficiou também de cuidados especiais em termos biográficos, tendo em vista os milhares de melomanos do baterista, tais como  incluir um novo e completo booklet contendo muitas actualizações, raras fotos da autoria do icónico fotografo Francis Zolff, uma nova remasterização digital e, mais importante também para os muitos coleccionadores, surge no mercado em formato digipack e em edição limitada.

ART BLAKEY

CD Jazz images records / Distrijazz