Você está aqui: Entrada / Catálogo / A ORIGEM DO FADO CD 2

A ORIGEM DO FADO CD 2

Amostras

  • 01 PASSO DO PAULO DA FONSECA...-1982_m.mp3
  • 02 ROMANCE DE D. JOÃO-1991.mp3
  • 03 QUE FAZES Á, CRIANÇA-1989.mp3
  • 04 SE EU PELO CANTO GANHARA-1997.mp3
  • 05 REGRESSO DO BEM-AMADO-1990.mp3
  • 06 FADO PAROD́STICO-1978.mp3
  • 07 ROMANCE DE DOM MELINDRO-1981.mp3
  • 08 FADO DA ESMOLA-1995.mp3
  • 09 NUMA ALDEIA ALENTEJANA-1995.mp3
  • 10 QUADRA DO ANTӁNIO VITORINO-2000.mp3
  • 11 CANTIGA DOS SALTIMBANCOS-1989.mp3
  • 12 ROMANCE DE DONA OLINA-1990.mp3
  • 13 FADO DA CESALTINA-1989.mp3
  • 14 A FILHA DO FAZENDEIRO-1989.mp3
  • 15 O HOTEL DOS SARILHOS-1995.mp3
  • 16 QUADRA DO SOLDADO FRANCÊS-1996.mp3
  • 17 QUADRA DO MÁRIO-1994.mp3
  • 18 ERAM DUAS CRIANCINHAS-1982.mp3
  • 19 QUADRA DA MARIA DAS NEVES-1996.mp3
  • 20 QUADRA DO AMANTE DA MÃE-1990.mp3
  • 21 O CRIME DO JOGADOR-1996.mp3
  • 22 CANTIGA DOS NځMEROS-1985.mp3
  • 23 MORGADO DA JUNQUEIRA-1982.mp3

Este disco é um dos quatro contidos no livro de 550 páginas com o mesmo nome.

gravações recolhidas em vários locais de Portugal por JOSÉ ALBERTO SARDINHA

"...Assim, o Fado não é exclusivamente lisboeta ou coimbrão. Nem sequer se pode dizer que teve seu berço em Lisboa, ou em Coimbra. Nasceu por todo o país, onde quer que um grupo de ceguinhos ou outros músicos itinerantes, na esteira da tradição jogralesca, se juntavam para cantarem romances novelescos ou quaisquer histórias de vidas que chamavam a atençãodo povo frequentador das feiras, mercados e romarias. Essas produções podiam ser apenas poéticas, que esses intérpretes introduziam em melodias pré-existentes, ou podiam mesmo ser novas composições musicais da autoria desses músicos de rua, naturalmente dentro dos parâmetros que a tradição musical romancística lhes fornecia. Não obstante ser, pois, um fenómeno nacional – e isto desde a sua génese -, o certo é que foi de Lisboa e de Coimbra que saíram os primeiros “heróis do fado”. Em primeiro lugar, porque Lisboa possuía uma população mais numerosa e esmoler e, por outro lado, um maior número de tabernas, o que tudo atraía mais músicos ambulantes. Depois, porque foi em Lisboa que a fidalguia frequentadora das tabernas “descobriu” o Fado e o elevou aos salões e à fama. Uma vez caído em moda, aí se criaram retiros e restaurantes especialmente destinados à apresentação pública dos artistas do Fado. …O nome “Fado” surgiu a partir do facto de os poemas narrativos contarem histórias ou episódios das vidas das pessoas, geralmente de desenlace triste ou mesmo trágico: a morte dos jovens amantes por verem o seu amor contrariado; o assassínio por ciúme; o suicídio da donzela enganada, ou o seu retiro para o convento; o castigo da mulher adúltera, ou do seu amante; a triste vida do soldado; a vida de dor e pena dos ceguinhos; a vingança da mulher abandonada; a história da mãe que mata os filhos e acaba na prisão; enfim, as vidas..."

A ORIGEM DO FADO - CD2 em MP3

5,00 €

As origens do Fado andam envoltas em mistério. Há quem acredite que o Fado nasceu no Brasil, em África, no mar ao sabor das ondas, ou que nos chegou trazido pelos árabes!

Afinal a sua origem é simplesmente portuguesa, verdadeiramente portuguesa, essa convicção e a tese do autor.

Através de uma investigação séria, rigorosa, profunda e consistente junto das comunidades rurais de todas as províncias, o autor descobriu os resquícios de uma antiquíssima tradição poético-musical comum a todo o país (aldeias, vilas e cidades, incluindo Lisboa), que constitui a génese do Fado: o canto narrativo, que vem desde o séc.XVI representado pelo romanceiro novelesco tradicional e que chegou aos nossos dias através dos músicos ambulantes entre ao quais os ceguinhos da tradição popular, que cantavam pelas feiras e ruas de todo o país os últimos acontecimentos que impressionavam o seu auditório: os crimes, as desgraças, as tragédias, as vidas da gente comum, que o mesmo é dizer os fados da gente comum.

São esses os fados primitivos (a que pejorativamente se chama fados da desgraçadinha ou de faca e alguidar), é aí que se situa a origem, a raiz do Fado.

O Fado provém directamente de um género poético - musical popular que é o romanceiro tradicional. Depois, nem a tese de Ruy Vieira Nery nem qualquer outra consegue explicar e que considero importantíssimo, que é a origem da palavra. Porque é que se chamou Fado a uma dança brasileira? Na minha investigação ouvia pessoas que diziam: fulano canta fados de feira, fulano canta fados da Bíblia - histórias da Bíblia.

Colhi no Dicionário de Bluteau (1827) um provérbio popular que diz o seguinte: "Põe a mão no teu seio/ não dirás do fado alheio". Trata-se de um conceito - ao contrário do fado/destino em Camões - mais prosaico, de episódios de vida, desfechos, casos de vida. Um ceguinho de feiras anunciava o seu produto deste modo: "Escutai agora o triste fado da Isaurinha que se deixou enganar …", etc. Depois o povo pedia, Ti Chico cante aí o fado da Isaurinha. Os primeiros fados tinham o nome da principal personagem, porque eram histórias de vida, eram narrativos. Esta é a origem da palavra.