Você está aqui: Entrada / Notícias / JOÃO FARINHA & FADO AO CENTRO

JOÃO FARINHA & FADO AO CENTRO

Enquanto na área do fado de Lisboa propriamente dito se sucedem a um ritmo quase vertiginoso os lançamentos ,no campo específico da canção de Coimbra são esporádicas as edições pelo que qualquer novo disco que surja ou aparece interpretado por algum dos poucos nomes sonantes e consagrados ainda vivos ( aqueles a quem muitos chamam dinossauros, no bom sentido entenda-se!) ou passa despercebido ou então mesmo é pouco menos que injustamente ignorado pelos media o que significa muitas vezes que pouca gente dá pelo disco ou sequer sabe da sua existência! Vem este desabafo a propósito do lançamento de “Sim” na voz de um estreante nas gravações a solo - João Farinha que nele e ao longo de 14 composições com elas percorre aquilo que ele próprio entende como sendo um novo rumo para o fado coimbrão percurso que vem ensaiando e percorre há alguns anos e que tem a ver com uma nova sonoridade ,diferentes instrumentos e acima de tudo uma nova abordagem à canção/balada da sempre bela cidade do antigo basófias - o rio Mondego. Dono de uma voz singular e tendo como fio condutor em termos poéticos o amor , a eterna saudade e as mágoas, atributos desde sempre tão comuns à canção coimbrã o jovem fadista revela-se um interprete seguro ,que procura com afinco, serenidade e um certo talento a maioridade vocal e que apesar de estreante na canção revela predicados de quem tem já algum traquejo no cantar ;um elenco de luxo constituído entre outros por Florbela Espanca , David Mourão Ferreira , Eugénio de Andrade , José Carlos Ary dos Santos ,Mário Cesariny , Antero de Quental e Fernando Pessoa são alguns dos grandes poetas escolhidos para abrilhantarem poeticamente o projecto através de uma série de belíssimas obras criteriosamente escolhidas entre a imensidão de hipóteses que cada um dos poetas podia proporcionar e que acabam por servir de trampolim e montra auditiva para revelar João Farinha & Fado ao Centro como uma das mais radiosas esperanças da eterna canção de Coimbra de que os estudantes e suas capas negras são o ex-libris , afinal de contas uma música que ao longo dos tempos tem conseguido dar outra expressão , quiçá mais universalista até ,a palavras como sentimento ,saudade ,amor , mágoa e resistência . CD Fado ao Centro records
classificado em: