Você está aqui: Entrada / Catálogo / NAVEGANTE

NAVEGANTE

Amostras

  • 01 NÃO QUERO QUE VÁS À MONDA.mp3
  • 02 SIMPLES DE ENTENDER.mp3
  • 03 VOU FALAR CONTIGO.mp3
  • 04 BANDOLANDO.mp3
  • 05 Ó MINHA SALVÉ RAINHA.mp3
  • 06 O MEU BEM.mp3
  • 07 SÁBADO D_ALELUIA.mp3
  • 08 BEIJAI O MENINO.mp3
  • 09 BANDOLINDO.mp3
  • 10 FADO DO TU CÁ TU LÁ.mp3
  • 11 SAIAS DAS SETE SAIAS.mp3
  • 12 CHULA DE BARQUEIROS.mp3
  • 13 CANÇÃO DO MARINHEIRO.mp3

MEU BEM MEU MAL

Música popular portuguesa

O Navegante é um projecto pessoal de José Barros, que, com a sua teimosia conseguiu, ao longo de duas décadas, criar uma forma de estar na música muito própria. Tendo como um dos objectivos principais e divulgação da música tradicional portuguesa, chamou até si a colaboração de grandes nomes do panorama musical do nossos país, de que podemos destacar José Manuel David (Gaiteiros de Lisboa), Amélia Muge, Janita, João Afonso, Rui Júnior, Rui Vaz (Gaiteiros de Lisboa) e muitos outros.

NAVEGANTE

15,00 €
12,50 €

NAVEGANTE em MP3

5,00 €

Nasceu em 1993, de um projecto pessoal de José Barros, e funde-se com o currículo do seu líder e fundador.
De José Barros e Navegante se poderá dizer que nasce na sequência de um trabalho que contou com a fundação do grupo Bago de Milho (1983/86 — quatro anos de existência e um disco), do grupo Romanças (seis anos e dois discos), e colaborações várias com outros grupos e projectos como por exemplo, Ronda dos Quatro Caminhos, Isabel Silvestre etc. ….

Tendo como elo comum a música tradicional portuguesa.
Ao José Barros e Navegante junta-se Rui Júnior, Carlos Passos, Jorge Cruz, José Martins e Quim Correia, nomes bem conhecidos na área da música popular, clássica e jazz, espelhando influências várias num projecto que ao longo dos seus 15 anos de existência tem já 6 discos gravados.

A ligação de José Barros aos instrumentos de corda, ao canto e à música tradicional portuguesa em geral, seja em cursos de instrumentos tradicionais que tem dado por todo o país, ou em gravações e espectáculos no país e estrangeiro, feita através de grupos por si fundados ("Bago de Milho", "Romanças") ou na produção musical de outros grupos desde 1983, dão a este projecto o enriquecimento e uma sonoridade que identifica a música portuguesa e o próprio grupo. Para isso muito contribuiu a passagem de todos os músicos que, com José Barros, têm trabalhado neste projecto.

Em 1998 entram para o grupo Vasco Sousa e João Luís Lobo, bem como Hugo Tapadas, Miguel Catalão e Miguel Tapadas, coincidindo com a gravação do terceiro CD, formação essa que, conjuntamente com José Barros e Carlos Passos colaboraram também na saída do disco Vivos E Ao Vivo, duplo CD de comemoração dos 10 anos, gravado ao vivo no Centro Cultural Olga Cadaval em Sintra em Novembro de 2002.

A edição do 3º CD Rimances editado pela L’EmpreinteDigitale em França, com distribuição mundial, no dia 14 de Fevereiro de 2003 marca o inicio de uma nova etapa para o grupo.
Em 2008, e com um novo disco Meu Bem Meu Mal editado em Maio, comemoram 15 anos.