Você está aqui: Entrada / Catálogo / MADE IN MACAU

MADE IN MACAU

Amostras

  • 01 BLUE HOPE.está quase.mp3
  • 02 PAULA MONTEIRO.amar.mp3
  • 03 MYTHS.nature of sound.mp3
  • 04 LEGIONÁRIOS.será este o meu fim.mp3
  • 05 SUPER SAHYANS.barbatanas.mp3
  • 06 MANDARINA.resistence.mp3
  • 07 STATE OF MIND.new world.mp3
  • 08 PLASMA.mutar.mp3
  • 09 WARP FACTOR 9.inflated woman.mp3
  • 10 SURGE.focus.mp3
  • 11 JOAQUIM CRESTEJO.estar aqui.mp3
  • 12 APANHADORES DE ORVALHO.coloane.mp3

MOUMENTAI

Colectênea de música de grupos de Macau

A população juvenil de Macau tem demonstrado ao longo dos últimos anos capacidade suficiente para produzir música. Deparando com as eternas dificuldades de quem é jovem - falta de instalações próprias, poucos concertos para mostrar as suas potencialidades, inexistência de salas, etc. - mesmo assim muitas bandas souberam sobreviver. É essa energia, de quem sabe o que quer, foi por nós registada na primeira colectânea de grupos rock de Macau.
 Este disco contém um livreto de 20 páginas.

MADE IN MACAU

10,00 €

MADE IN MACAU em MP3

5,00 €

Foram muitos os grupos de jovens que aderiram à iniciativa de editar um CD que fosse representativo do movimento musical rock existente em Macau no ano de 1996.
Queríamos deixar uma amostra da vitalidade de uma geração de jovens que vivia uma fase de transição da soberania portuguesa para a chinesa, que viria a acontecer 3 anos depois em 1999.
As diferentes intervenções musicais denotam uma diversidade de género e musicalidade que merecem especial atenção.
Tal foi o entusiasmo que alguns desses jovens, numa estratégia inteligente agruparam-se de formas diferentes, com nomes diferenciados, no sentido de poderem aparecer mais do que uma vez nesta colectânea.
Podemos destacar um deles que mais tarde viria a tornar-se figura de proa em Portugal num concurso televisivo e que aqui dava os seus primeiros passos na composição musical. Falamos de Joaquim Crestejo, conhecido por Mané.

Como muitos outros discos editados pela Tradisom em Macau, o apoio das instituições locais foi imprescindível e teremos forçosamente de destacar o Secretário Adjunto de Cultura, Coronel António Salavessa, que nunca nos negou essa possibilidade de registar a memoria colectiva deste território de características tão especiais.