Você está aqui: Entrada / Catálogo / A VIAGEM DOS SONS – SUMATRA – KRONCONG MORITSKO

A VIAGEM DOS SONS – SUMATRA – KRONCONG MORITSKO

Amostras

  • 01 Tari Ronggeng Tide.mp3
  • 02 Tari Ronggeng Gala.mp3
  • 03 Kroncong Moritsko.mp3
  • 04 Kroncong Tangisan Tengah Malam.mp3
  • 05 Intan Kasih Karya Nada.mp3
  • 06 Langgam KroncongBengawan Solo.mp3
  • 07 Bengawan Solo.mp3
  • 08 Japin Ula-Ula Lembing.mp3
  • 09 Joged Makan Sirih.mp3
  • 10 Joged Laksmana Mati Raden Ditemba.mp3
  • 11 Tari Cang-Cang.mp3
  • 12 Lagu Pulau Pinang.mp3
  • 13 Lagu-Tari Kapri - Tari Payung.mp3
  • 14 Lagu Slendang - Saputangan.mp3
  • 15 Bersyukurlah Para Orkes Gambusan.mp3
  • 16 Lagu Sekapur Sirih Para Conjunto.mp3
  • 17 STB. II (Stambul Dua) Janjiku.mp3

COLEÇÃO DO PAVILHÃO DE PORTUGAL DA EXPO98

Edição de luxo em digipak com livreto bilingue (português, inglês) de 90 páginas a cores.

Desde o século XVI que os portugueses são conhecidos pelos seus navegadores aventureiros que pioneiramente sulcaram os mares até locais tão distantes como o Sudeste asiático, ou as Américas, estabelecendo impérios comerciais e subjugando, nesse processo, pequenas populações locais. Procurando monopolizar o lucrativo comércio das especiarias das Índias Orientais, os portugueses começaram por estabelecer a sua presença militar nas “Ilhas das Especiarias” (Spice Islands) de Moluku (as ilhas Molucas), logo no século XV (vide mapa). Bem cedo os espanhóis, os ingleses e os holandeses se juntaram na corrida pela supremacia do comércio da noz moscada, do cravinho e do sândalo nas Molucas. Porém, os portugueses foram os primeiros a implantar uma rede de fortalezas e de interpostos comerciais na região, inicialmente nas Ilhas das Especiarias de Ternate e Tidore, no norte das Molucas, mas também em Ambon e Ceram, nas Molucas centrais, nas Flores e em Timor, no sudeste, e em Muar (Península Malaia), Tugu (actual Jacarta), Makassar (hoje Ujung Pandang), no Sulawesi do sul e em Timor leste.

A VIAGEM DOS SONS – SUMATRA – KRONCONG MORITSKO

15,00 €

A VIAGEM DOS SONS – SUMATRA em MP3

5,00 €

Tal como esta selecção musical demonstra, a música viaja pelos caminhos percorridos por aqueles que a interpretam ou que a desempenham. Podemos mesmo falar em viagens de sons e traçar os seus itinerários através dos oceanos e dos continentes. Este disco, em particular, diz respeito não apenas aos sons dos viajantes portugueses mas também aos sons da tradição dos escravos africanos e sul-asiáticos que viajaram por intermédio dos portugueses. Tal como já ficou dito anteriormente, alguns escravos converteram-se ao cristianismo ficando conhecidos por Portugis ou por portugueses negros. Ao tomarem contacto com diferentes tradições, contextos e pessoas, estes sons foram absorvidos e fundidos através de processos geradores de novas e independents formas de expressão musical as quais vieram a definir diferentes identidades culturais.

É neste enquadramento que podemos inserir alguns géneros musicais e estilísticos tais como o kroncong e o kapri, e algumas danças como a zapin acompanhada por música joget. Porém, a aparente unicidade cultural entre as várias regiões malaio-falantes do sudeste asiático, baseia-se não apenas no contacto cultural com os portugueses mas também no contacto com os indianos e os muçulmanos da Ásia ocidental. Assim, alguns géneros musicais que se crê terem origem num sincretismo entre as culturas portuguesa  malaia, contêm elementos de origem malaio-árabe como é o caso do orkes gambus ou gambusan (contendo instrumentos de origem árabe tais como o alaúde gambus, Vide faixa 15), utilizado para acompanhar as danças malaias como por exemplo a zapin. Independentemente do modo como os elementos portugueses ou árabes se introduziram no universo malaio, alguns géneros musicais, como o kapri, o ronggeng, o orkes gambus, o stambul, o bangsawan e algumas canções e agrupamentos kroncong, constituem efectivamente uma síntese entre elementos portugueses e perso-árabes ou da Ásia ocidental. Hoje a música não é descrita pelos seus intérpretes ou pelas audiências como sendo portuguesa, pois, tal como é sabido, o poder português na Indonésia dissipou-se no início da era colonial. Em vez disso, a música é definida como música malaia, pelo que se tona importante perceber o significado dessa expressão.

Mais discos (tradicional)

A BRAGUESA DE CHICO GOUVEIA

A VIAGEM DOS SONS - GOA - GAVANA

A VIAGEM DOS SONS – BRASIL - O CAVALO MARINHO DA PARAÍBA

A VIAGEM DOS SONS – CABO VERDE – DEZ GRANZI DI TERA

A VIAGEM DOS SONS – DAMÃO, DIU, COCHIM, KORLAI – DESTA BARRA FORA

A VIAGEM DOS SONS – MACAU – FALA-VAI-FALA-VEM

A VIAGEM DOS SONS – MALACA – KANTIGA DI PADRI SA CHANG

A VIAGEM DOS SONS – MOÇAMBIQUE – MAKAYELA

A VIAGEM DOS SONS – S. TOMÉ – TCHILOLI

A VIAGEM DOS SONS – SRI LANKA – BAILA CEILÃO CAFRINHA

A VIAGEM DOS SONS – SRI LANKA – CANTIGAS DO CEILÃO

A VIAGEM DOS SONS – SUMATRA – KRONCONG MORITSKO

A VIAGEM DOS SONS – TIMOR – TATA HATEKE BA DOK

A VIOLA CAMPANIÇA CD 1

A VIOLA CAMPANIÇA CD 2

ALEMTEJO - UM SÉCULO DE SOM

ALGARVE

AS TRADIÇÕES PORTUGUESAS EM FRANÇA

AS TUNAS DO MARÃO CD 1

AS TUNAS DO MARÃO CD 2

AS TUNAS DO MARÃO CD 3

AS TUNAS DO MARÃO CD 4

AT-TAMBUR

AUTO DA FONTE DOS AMORES

BRAGA NA TRADIÇÃO MUSICAL

CANCIONEIRO DO CANTE ALENTEJANO

CANTIGAS DE MAREAR – CORAL DINAMENE

CONJUNTO JOÃO DOMINGOS - AO VIVO EM MACAU

DANÇAS POPULARES DO CORPUS CHRISTI DE PENAFIEL

DANIEL PEREIRA - CAVAQUINHO CANTADO

DECANTADO

EKVAT – GOEAN PAUTOCH

FILHOS DE TIMOR LESTE

GOA - MACAU - TIMOR

GRUPO CORAL DE PORTIMÃO

GRUPO FOLCLÓRICO DA CASA DO POVO DE MARTIM

GRUPO FOLCLÓRICO DE VILA VERDE - CD

INFLUÊNCIAS

ISABEL SILVESTRE

JOAQUIM ROQUE

MACAU

MAIO MOÇO

MANUEL DIAS NUNES

MEUS OLHOS VAN PER LO MAR – CORAL DINAMENE

MICHEL GIACOMETTI - O LADRÃO DO SADO

MICHEL GIACOMETTI - UMA LONGA MILITÂNCIA

NOVAS VOS TRAGO

O BAILE DA CAMACHA – A ORIGEM E A HISTÓRIA

O Cavaquinho do Amadeu

RAÍZES

RAÍZES MUSICAIS DE VINHAIS

TRADIÇÕES MUSICAIS DA ESTREMADURA CD 1

TRADIÇÕES MUSICAIS DA ESTREMADURA CD 2

TRADIÇOES MUSICAIS DA ESTREMADURA CD 3

TUNA MACAENSE

VOZES E RITMOS DO ORIENTE