Você está aqui: Entrada / Catálogo / A CARAVELA – JACINTO RAMOS diz ANTÓNIO CORREIA

A CARAVELA – JACINTO RAMOS diz ANTÓNIO CORREIA

Amostras

  • 01 Causa e Bandeira.mp3
  • 02 O Mar.mp3
  • 03 Visão Marinha.mp3
  • 04 Abraço.mp3
  • 05 Fé.mp3
  • 06 Camões.mp3
  • 07 Vasco da Gama.mp3
  • 08 A Capital.mp3
  • 09 Pedras da Velha Goa.mp3
  • 10 Afonso de Albuquerque.mp3
  • 11 A Caravela.mp3
  • 12 Anónimo Nauta.mp3
  • 13 A Nossa Voz.mp3
  • 14 Sol Poente.mp3
  • 15 Arrulho.mp3
  • 16 Nautico.mp3
  • 17 Bacaim.mp3
  • 18 O Sonho e a Obra.mp3
  • 19 O Império das Ideias.mp3

POEMAS DE ANTÓNIO CORREIA SOBRE A GRANDE EPOPEIA MARÍTIMA PORTUGUESA

colecção POETAS DE MACAU

São poemas que percorrem o universo da presença portuguesa no mundo, designadamente no Oriente. É uma viagem ao leme de uma caravela dirigida pela magnífica voz do actor Jacinto Ramos, que percorre os mares, as tempestades, as bonanças, os amores, os prazeres e as ideias. Um disco que inicia uma nova colecção da Tradisom intitulada "Poetas de Macau".

A CARAVELA – JACINTO RAMOS diz ANTÓNIO CORREIA

10,00 €
5,00 €

A CARAVELA em MP3

5,00 €
3,00 €

ANTÓNIO CORREIA nasceu na freguesia de Anreade, concelho de Resende, em 1948. É licenciado em Direito e diplomado em Secretariado.
É advogado, notário privado e gestor de empresas. Fez carreira bancária. Foi sindicalista.
Radicou-se em Macau em 1980, onde foi deputado à Assembleia Legislativa, sendo ainda membro do Conselho de Cultura.

JACINTO RAMOS concluiu o curso do Conservatório Nacional em 1949, sendo imediatamente contratado para o Teatro Nacional D. Maria II, onde esteve até 1953.
Voltou mais tarde a esta Companhia em 1959 e fez parte do elenco até 1963, ano em que produziu e representou um dos maiores sucessos do Teatro Português, a peça de Jerome Kilty “Adorável Mentiroso”.
Em 1969 apresenta “O Diário do Louco” de Gogol, um trabalho a solo que foi outro grande sucesso.
Representou em inúmeras empresas e teve companhia própria.
Em Março de 1994, o Presidente da República, por proposta do Governo, conferiu-lhe o grau de Comendador da ordem Militar de Santiágo de Espada.